PT — LARRY ROMANOFF — Iniciativa Privada e Bem Nacional — October 9, 2020

Iniciativa Privada e Bem Nacional

Por  LARRY ROMANOFF – October 9, 2020

ENGLISH  PORTUGUÊS

É preciso dizer que existem valores maiores na vida do que a eficiência econômica e o capitalismo desregulado. Muitas coisas que fazemos são decididas não pela economia, mas por nossos valores sociais e pessoais, e são feitas por razões humanas não relacionadas à economia ou ao lucro. Se nossas atividades se restringissem à economia, nunca teríamos uma série de coisas que talvez sejam economicamente deficientes, mas úteis, bonitas ou simplesmente divertidas. A infraestrutura física e social de uma nação não são primeiramente, na maioria dos casos nem minimamente, empreendimentos comerciais, nem deveriam ser. A geração de eletricidade, o fornecimento de comunicações universais, um sistema de transporte eficiente são construídos para o bem nacional, e isso é ainda mais verdadeiro para elementos sociais como educação, saúde e sistema de seguridade social. Tudo isso e muito mais são necessidades fundamentais para o bem-estar de uma nação e de seu povo, empreendidas não para enriquecer poucas elites, mas para beneficiar a população. Essas, como a defesa nacional, são responsabilidades básicas de um governo nacional e não devem, de forma alguma, ser vistas como oportunidades comerciais para predadores gananciosos. Ter um Goldman Sachs ou um Blackstone dizendo: “Ei, nós poderíamos ganhar bilhões com isso”, não é uma razão para deixá-los fazer isso.

Os proponentes americanos da privatização de infraestrutura tentam argumentar que a motivação ao lucro – em outras palavras, a ganância – de alguma forma sempre produzirá o melhor resultado, mas esse resultado é inevitavelmente o melhor para apenas um pequeno punhado de pessoas, enquanto 99% do bem-estar da população e do país sofrem proporcionalmente. A medida correta da infraestrutura física e social de uma nação é a utilidade pública, não a lucratividade. A medida do sistema de saúde de uma nação é o aumento geral da saúde e do bem-estar das pessoas, não a quantidade de lucro que um Blackstone ou Carlyle pode obter com a propriedade dos hospitais. E para cumprir a responsabilidade pela utilidade pública, o próprio planejamento de toda infraestrutura deve originar-se unicamente das prioridades fundamentais da nação e das necessidades de seu povo, não da ganância de financistas. Este não é um ponto desimportante. Os proponentes da privatização inevitavelmente afirmam que será “mais eficiente”, o que apenas significa que eles podem sugar dinheiro público em um processo privado, e ainda dizer que a privatização irá “criar empregos”, deliberadamente ignorando que quaisquer empregos criados no setor privado serão mais do que compensados pela perda de empregos no setor público. Como poderia ser diferente? Se transferirmos a limpeza de ruas de um governo municipal para uma empresa privada, então é claro que a empresa privada “criará empregos”, mas todos aqueles anteriormente empregados na mesma função pelo governo local estarão agora desempregados e nas listas de seguridade social da cidade.

Pages: 1 2