A França e a Bélgica subcontratam assassinatos dos seus nacionais

-

Segundo o Wall Street Journal, a França e a Bélgica subcontratam, desde há pelo menos sete meses, o assassínio de alguns dos seus nacionais aderentes ao Daesh (E.I.).

Paris e Bruxelas forneceram a Bagdade uma lista de alvos prioritários. Ou o Exército iraquiano consegue detê-los e, neste caso, eles são condenados à morte e executados, ou serão mortos aquando dos combates.

Oficialmente, a França e a Bélgica, assim como outros Estados Europeus, não aplicam a pena de morte.

No Iraque, as Forças Especiais Franceses agem por conta de Paris e de Bruxelas, disfarçadas como militares iraquianos e usando veículos camuflados. Elas dirigem-se aos hospitais e às morgues para colectar amostras de ADN nos corpos e nos cadáveres de cidadãos franceses e belgas eliminados e poder compará-los com a sua base de dados. Podem, assim, manter a sua lista de alvos actualizada.

“France Directs Kills of French Fighters in ISIS” («A França orienta a liquidação de Combatentes Franceses do E.I.»- ndT), Tamer El-Ghobashy, Maria Abi-Habib & Benoit Faucon, The Wall Street Journal, May 30, 2017.

Tradução
Alva

Este artigo encontra-se sob licença creative commons

Poderá reproduzir livremente os artigos da Rede Voltaire desde que cite a fonte, não modifique o conteúdo e não os utilize para fins comerciais (licença CC BY-NC-ND).